17 de julho de 2016

Fotografia: Longa exposição

Quem nunca viu aquelas fotos com rastros de luz e fica babando nos seus efeitos?

Minha filha (o), acredite, você pode fazer isso também. Isso chama-se longa exposição, que nada mais é do que o tempo que é exposto a imagem ao seus sensores de fotografia. CUMA? Não entenderam nada néh. CALMA, vou tentar ajudar alguém que tenha paciência em ler esse post aqui (hihi, sou uma péssima professora, só para avisar ok).

 Primeiro de tudo entenda um pouquinho sobre o que é exposição, que resumidamente é o tempo do disparo da câmera, mas aqui nesta apostila M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A da Claudia Regina, você entende um pouco melhor além de outras dicas. 

A longa exposição pode ser trabalhada de várias formas, mas basicamente são mais usadas para criar três tipos de fotografia.

  • Rastro de Luz  (Foto 1: Matthew Howarth | Foto 2: David D’Amico) 


O rastro de luz é o mais famoso e o mais feito, através de pontos de luzes em movimentos, você consegue fotografar formas e efeitos que completam a composição da imagem, você pode captar esse efeitos com roda gigantes, carros em movimento, lanternas fazendo desenhos, aquelas varetas de pólvora, enfim existe uma infinidade de ideais, dá para fazer algo bem marcado ou mais sutil também, tudo dependerá da intenção desejada.

  • Água com efeito de neblina (Foto1: Silke Wegner | Foto 2: Ray Hennessy)


A longa exposição quando aplicada com a água em movimento, cria um efeito aveludado, meio parecido com neblina, muito fotógrafos usam essa técnica em cachoeiras, fazendo com que parecem véus de noivas, além de suavizar a imagem. Mas você pode aplicar isso com esguichos de água, paisagem do mar, chuva entre ouros cada modo, cria uma imagem nova.



Sabe aquela foto que você para e olha e fala: Que medo.
Rastros de pessoas acontece devido a velocidade do obturador lenta e objeto, no caso a pessoa as em movimento e assim ele capta todo esse movimento criando a ilusão de fantasmas ou de que existia outra pessoa na foto, você pode brincar muito com isso, criar imagens mais sombrias ou divertidas como foto de baladas e festas.

Mas Como fazer algo assim?

Como dito tem que ter um ponto de luz em movimento, por exemplo, uma via que é bem movimentada de carros, você posiciona a câmera num ponto de captação favorável dos faróis, e ai você vai trabalhar com a exposição lenta  através da velocidade do obturador, veja abaixo:


Para fotos convencionais, com ambienteS medianos geralmente usamos a exposição de 1/60" até 1/125", mas para fazer o efeito dos rastros de luzes, você usará uma exposição lenta abaixo de 1/8", quando menos a exposição maior o tempo de abertura do obturador, ou seja, maior o tempo de captação de luz do ambiente.

Mas a velocidade não trabalha sozinha, tem que trabalhar em conjunto com o ISO e Abertura, usando um ISO baixo (ex: 100 ou 80) e uma abertura alta (f/5.6 ou f/8 em diante).



Depois regulado a sua Velocidade longa, o ISO baixo e a abertura grande, é só posicionar a câmera par ao local a ser fotografado (um tripé ajuda pois qualquer mexida será captada devido a longa exposição) e disparar. Lembrando que as regulagens vai depender do efeito desejado, para água e cachoeira fica bonito deixar o ISO o a abertura mais clara para não perder a imagem da natureza e tals e etc.

Outro dia pela cidade, aproveitei e fiz algumas fotos para brincar um pouco, vejam:



Links legais para ver mais sobre o assunto:
No começo dá uns bugs na cabeça, mas é divertido ver as formas e opções que a longa exposição proporciona, e só se aprender a fotografar fotografando, então pega a câmera e se joga.


5 comentários:

Não esqueça de deixar seu comentário e sua opinião sobre o post ! Além de ler todos também terei o maior prazer de retribuir. Quer tirar alguma dúvida? Você também pode entrar em contato pelo e-mail: grazielle.matos@hotmail.com.

Beijão e fique sempre a vontade !

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo