21 de julho de 2016

PlayList: Descobertas de Junho

Nessas descobertas de Junho, foi predominante a música brasileira, conheci muitas bandas lindas e cantores novos que nunca tinha ouvido, e claro musicas novas e antigas de cantores que já conhecia, mas além do jeitinho brasileiro, descobri também novidades pop e vozes únicas que me apaixonei.

Aqui você vai ouvir Adele, Peu Del Rey, Nando Reis, Pedro Bial e muita mais, vai dá o Play :)

Curtiu? Me segue lá no Spotify que tem muito mais.

20 de julho de 2016

No brechó: Lacca


Antes de começar a falar de qualquer coisa, para quem não conhece LACCA significa - Liga Araraquarense de Combate ao Câncer, é uma Ong voltada a ajudar em tratamentos e pessoas que tenham câncer, além de inúmeros projetos interligados, e através desse impeto de ajudar que surgiu a loja LACCA, que na verdade é um espaço que eles vendem todos os tipo de coisas possíveis que recebem de doação para que toda a renda seja revertida à ONG e ajudar nos seus projetos e pessoas envolvidas. 

É uma loja de desapegos total, tem disco de vinis, livros, cds, bijuterias, brinquedos, utensílios, móveis, roupas, calçados, eletrodomésticos, eletroeletrônicos e etc, uma infinidade de coisas. Os preços variam de acordo com os produtos, tem coisas mais caras mas geralmente são artigos de colecionadores e coisas bem antigas, as roupas vão de R$5 à R$20,00 reais (uma média ok). dá uma olhadinha. 












Na minha última visita, levei apenas um poncho de tricô por R$10,00 e um disco de vinil da Rita Lee e Roberto por R$10,00 reais também. Mas o que eu mais gosto de lá que tem muita coisa de decoração eu vi uma câmera retro lindinha, vi umas caixas de som de madeira, copos aleatórios e etc, breve voltarei. Além da loja, eles possuem um galpão de moveis enorme e que normalmente é aberto um sábado ao mês, acompanhe a página deles no facebook e fique por dentro de quando rola a abertura desse galpão e demais novidades.

Endereço:  Av. Portugal, 238 - Centro - Araraquara / SP



17 de julho de 2016

Fotografia: Longa exposição

Quem nunca viu aquelas fotos com rastros de luz e fica babando nos seus efeitos?

Minha filha (o), acredite, você pode fazer isso também. Isso chama-se longa exposição, que nada mais é do que o tempo que é exposto a imagem ao seus sensores de fotografia. CUMA? Não entenderam nada néh. CALMA, vou tentar ajudar alguém que tenha paciência em ler esse post aqui (hihi, sou uma péssima professora, só para avisar ok).

 Primeiro de tudo entenda um pouquinho sobre o que é exposição, que resumidamente é o tempo do disparo da câmera, mas aqui nesta apostila M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A da Claudia Regina, você entende um pouco melhor além de outras dicas. 

A longa exposição pode ser trabalhada de várias formas, mas basicamente são mais usadas para criar três tipos de fotografia.

  • Rastro de Luz  (Foto 1: Matthew Howarth | Foto 2: David D’Amico) 


O rastro de luz é o mais famoso e o mais feito, através de pontos de luzes em movimentos, você consegue fotografar formas e efeitos que completam a composição da imagem, você pode captar esse efeitos com roda gigantes, carros em movimento, lanternas fazendo desenhos, aquelas varetas de pólvora, enfim existe uma infinidade de ideais, dá para fazer algo bem marcado ou mais sutil também, tudo dependerá da intenção desejada.

  • Água com efeito de neblina (Foto1: Silke Wegner | Foto 2: Ray Hennessy)


A longa exposição quando aplicada com a água em movimento, cria um efeito aveludado, meio parecido com neblina, muito fotógrafos usam essa técnica em cachoeiras, fazendo com que parecem véus de noivas, além de suavizar a imagem. Mas você pode aplicar isso com esguichos de água, paisagem do mar, chuva entre ouros cada modo, cria uma imagem nova.



Sabe aquela foto que você para e olha e fala: Que medo.
Rastros de pessoas acontece devido a velocidade do obturador lenta e objeto, no caso a pessoa as em movimento e assim ele capta todo esse movimento criando a ilusão de fantasmas ou de que existia outra pessoa na foto, você pode brincar muito com isso, criar imagens mais sombrias ou divertidas como foto de baladas e festas.

Mas Como fazer algo assim?

Como dito tem que ter um ponto de luz em movimento, por exemplo, uma via que é bem movimentada de carros, você posiciona a câmera num ponto de captação favorável dos faróis, e ai você vai trabalhar com a exposição lenta  através da velocidade do obturador, veja abaixo:


Para fotos convencionais, com ambienteS medianos geralmente usamos a exposição de 1/60" até 1/125", mas para fazer o efeito dos rastros de luzes, você usará uma exposição lenta abaixo de 1/8", quando menos a exposição maior o tempo de abertura do obturador, ou seja, maior o tempo de captação de luz do ambiente.

Mas a velocidade não trabalha sozinha, tem que trabalhar em conjunto com o ISO e Abertura, usando um ISO baixo (ex: 100 ou 80) e uma abertura alta (f/5.6 ou f/8 em diante).



Depois regulado a sua Velocidade longa, o ISO baixo e a abertura grande, é só posicionar a câmera par ao local a ser fotografado (um tripé ajuda pois qualquer mexida será captada devido a longa exposição) e disparar. Lembrando que as regulagens vai depender do efeito desejado, para água e cachoeira fica bonito deixar o ISO o a abertura mais clara para não perder a imagem da natureza e tals e etc.

Outro dia pela cidade, aproveitei e fiz algumas fotos para brincar um pouco, vejam:



Links legais para ver mais sobre o assunto:
No começo dá uns bugs na cabeça, mas é divertido ver as formas e opções que a longa exposição proporciona, e só se aprender a fotografar fotografando, então pega a câmera e se joga.


15 de julho de 2016

Saldo do mês {Junho}

Estava eu cá pensando e tentando lembrar as coisas boas de junho, para fazer esse post e registar os detalhes esquecidos vividos, e ai não me lembrava de quase nada, ai me recorri as fotos do meu celular e me lembrei de quase tudo, (uffa salva pelas fotos), ai pensei, ta aí o porque da minha paixão pela arte da fotografia, não amo fotografia pela composição, pelo enquadramento ou pela qualidade incrível de algumas, mas sim pelo registro puro. 

Gosto da fotografia como registro, como agenda, como check, como rotina, aquelas fotos do tipo  - deixar eu tirar isso aqui para lembrar depois, ou ops tirei a foto na hora certa que tal pessoa escorregou e eu ri muito com isso e com ela ou aquela foto da janela com uma arvore só pelo fato de que aquilo foi bonito ou te trouxe uma sensação. Tá não vou ser hipócrita ao ponto de que também não aprecio uma sessão fotografia profissional, que amo fazer composições e enquadramentos, mas o motivo real de gostar também de tudo isso foi pelo registro simbólico e simples de todo o começo da fotografia.

(aperte o play, para companhar o post com música boa)



Então o mês de junho néh? Pois bem foi recheeeeado com muitas dessas fotografias de registros aleatórios, teve João Rock bem no aniversário da Cris, que já contei um teco de como foi aqui, fui também no show do Gustavo Mendes, que me fez chorar de rir e ao mesmo tempo ter um momento de reflexão, é quase um standrama, além da parte divertida ele fala um pouco sobre suas dificuldades e depressão sem perder o humor e sem ofender ninguém (ganhou meu respeito). Ah ia me esquecendo, fui no show da Simone com meu pai, meu irmão e um amiga e sabe quanto paguei por esse show incrível? R$1,00 (morram comigo).





O Mês de junho começou com um baita frio por aqui, dias de chuva repentinas, e ai surgiu os casacos, as meias furadas, as vontades de morrer comendo chocolate, o edredom e o chokito. Esse chocolate aí da foto (Neugebauer) e maior descoberta do universo, barato e maravilhoso ele é fabricado em santa Catarina, só por aí já dá a sensação de ser bom, mas é bom mesmo gente.






Ahhhhh já disse que sou a louca do por do sol por aqui, e esse ai de cima é la´do Sesc, que assim como o Atacadão, é um dos melhores lugares para se apreciar essa visão, SESC seu lindo, te amo. Em Junho fiz algumas aquisições e alguns trabalhinhos manuais rsrs, comprei uma lampada vintage com um filamento espiral, fiz novos imãs retrô para minha lojinha e uns paranuês para pendurar vasinhos em casa. Por fim uma rua coma arvores linda aleatoriamente, por que sim.





Ainda na vida social, também rolou show do Hateen e sessão cinema com lencinhos e chocolates e amigas em prol de Como eu era antes de você, pronto já imaginaram como foi esse mês? Maravilhindo e produtivo, o mês passou rápido e cansativo, mas fiz tantas coisas que estavam paradas que está em dando tanto orgulho.



Claro que teve perrengue, TPM, desistências e consolações, mas as coisas boas ultimamente tem sido sempre 80% de tudo. Beijos para quem fica.

14 de julho de 2016

Os 100 anos de estilos

Como somos influenciados por décadas sem perceber, se usamos um batom, ou um chapéu diferente ou sei lá uma meia, um comportamento enfim, tudo na verdade não é novo, são coisas que passaram por transformações e moldes ao longo do tempo e se tornou o que é hoje. 

Existe vários videos pela internet, mostrando os 100 anos dessas mudanças, de estilo, de objetos e comportamentos, e são tão lindos, tão produzidos que chega a serem viciantes, separei alguns para babarem comigo.

















Uma das décadas que mais amo é a de 1920 e 1950, tanto quanto os vestidos e cabelos, são os mais lindos, mas é muito legal ver a década de 80 e 70 e principalmente 90 que foi a década que nasci e hoje depois de anos ... esquecemos como realmente era e ai vemos o vídeo e falamos nooooosssa verdade eu usava isso e muito. Hahaha Quem não usava um calça capri e um tênis da Sandy de plastico? Ah vá.

Qual década mais se familiariza? 

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo