16 de agosto de 2017

Mercúrio Retrógrado, e {...}


E aí? Aquela fase do horóscopo que te influencia nos danos a serem causados; retrógrado, está andando para trás, lento, devagar, segunda a astróloga Jaqueline cordeiro “Não é o momento ideal para comprar computador, celular, nem carro” mas eu to no processo de futura consumista consciente mesmo (lembram? Hehe post anterior) então até aí tudo bem.

No âmbito virginiano a dica é focar na revisão e na reavaliação dos seus atos durante toda a fase. TEMPO (estou reavaliando) 
Já passei dias/tempos piores, principalmente quando mercúrio está tranquilinho e otimista, andando para frente. Já tive dias de perdas drásticas, tanto física como emocional, já comprei coisas em períodos bons que não foram uma boa escolha no final das contas, já tive desilusões amorosas, profissionais, pessoais e interpessoais quando o sol estava brilhando o meu ser.
Mas tá aí mercúrio resolveu voltar no tempo, e eu? Apesar de ter um pezinho na crença astrológica ainda acredito mais nas escolhas próprias.
Aquele lemazinho, Você colhe o que plantou ou você planta o que colheu (não está errado) você planta (replanta) o que colheu, se colheu sorrisos e coisas boas por aí, o próximo a vir será recebido da mesma forma, ou seja, você plantou o que colheu ali atrás.

Enfim.
Mas indo para o treino no fim de tarde, ouvindo Mulher de Projota no fone, pensando nas metas da semana que não estão poucas, nas novidades que virão, no dia 23 que faço 26 e no meu melhor momento que tenho vivido impossível acreditar nesse mercúrio sucumbido.

Mas é bom não ignorar (hahahah).



9 de agosto de 2017

É possível ser futura consumista consciente na vida?

Ok. Como é difícil isso.
Uma pessoa que criada pela sociedade e por uma mãe consumista, que cujo ambos são até hoje, uma pessoa que ama coleções e coisas fofas aleatórias, uma pessoa que guarda até as folhas de fichários do colegial, uma pessoa com uma estante de livros cheia de livros lidos e muitos deles nunca lidos, uma pessoa dessa é possível ser uma futura consumista consciente na vida?

Essa é a pergunta que vem me cercando recentemente, tenho percebido o quanto eu consumo inconscientemente, não só o ato de consumo/compra, mas também o modo e comportamento do meu consumo, parte disso veio com o ato de ter um brechó, de começar a empoderar esse consumo consciente através de reutilização das roupas, de dar valor a coisas usadas que ainda estão boas, de minimizar o guarda roupa e gerar uma renda extra e de diminuir o acumulo desnecessário do armário.

Mas consumo consciente abrange mais que isso, mas isso já é um caminho. MUDEI já, já penso melhor sobre, já pratico aquela regrinha de que se comprei duas peças "novas", duas peças "antigas" deverão ser desapegadas, elas por eles, não mais elas e eles. Diminui minhas compras aleatórias em lojinhas de bijuterias, troquei um produto industrial que usava há anos por outra artesanal, produto esse que sei de onde vem e quem faz e como faz, antes de jogar algo fora passei a olhar essa coisa com mais atenção pensando se dá para arrumar, reformar ou até criar, porém são pequenas coisas que antes já praticava só que agora um pouco mais empenhada.

Estou no processo. 
Por onde começo/comecei isso? Pelas feiras e eventos que o brechó me levou, nelas conheci pessoas especiais que usam sua arte e força de vontade para produzir bens de qualidade, e então comecei a consumir mais itens de feiras, fazendo pequenas trocas de hábitos, troquei comprinhas da china por colares e pulseiras artesanais, loção de limpeza industrial, por loção artesanal de rosas, marcadores de livros de gráficas por artes reusadas, além de trocas de roupas desnecessárias, trocas de mão de obra e trocas de amoras (hihi, só para rimar com obra).





Pingente de pedra e bracelete: Flor do mar acessórios | Pulseira em macramé : Flor de lótus | Loção facial : Flores.seremos | Marcadores de livros: DonAnna's 

Quero começar a consumir mais consciente cada vez mais, não vai ser fácil desvincular um habito cultivado por anos, mas aqui estou, dando o primeiro passo, não prometo ser um exemplo ou mudar radicalmente, mas quero ser um teco melhor a cada dia.Tenho lido bastante sobre o assunto, consumir consciente não é apenas diminuir consumo, é também uma filosofia de vida, é habito de leveza e economia, como o maior clichê verídico do mundo diz: Menos é  Mais.
Sempre é.

Leituras:
Quer começar a pensar mais nisso também, tire 10 minutinhos e veja esse pequeno documentário, que mostra todos os comportamentos do consumo e como chegamos a isso, é para abrir horizontes.


E aí vem me ajudar?



18 de julho de 2017

Eu sou Feminista


 Ilustração de: Layse Almada

Vai encha o peito, pegue o ar denso que está a sua volta, inspire, filtre e solte: EU SOU FEMINISTA. Calma mana/mano/mona isso não é um defeito, não é um estado de qualificação ou rotulação pra ti, já te disseram que ser ou não ser feminista é uma questão de ponto de vista e opinião?
Há quem acredita que não exista igualdade de direito entre gêneros, e há quem acredite, e se você acredita, repita o processo acima, inspire, filtre e solte: EU SOU FEMINISTA. 
Não vou categorizar tipos e níveis de um ser feminista, apenas seja, quando surgir assunto no trabalho, sorria e diga, EU SOU FEMINISTA, quando na rodinha de papo bestas num bar alguém perguntar, fale tranquila, EU SOU FEMINISTA, quando sua família debater o assunto do jornal, diga suavemente, EU SOU FEMINISTA, do mesmo modo que eles todos dizem EU SOU TRABALHADOR, eu sou A FAVOR da pena de morte, eu sou CONTRA o aborto, eu sou MACONHEIRO, eu sou VEGAN, eu sou ATIVISTA, eu sou COMUNISTA, eu SOU de ESQUERDA ou de DIREITA, sei lá o que, mas sei que todos dizem sem perdão, porque você não?

Aquele meme de deboche- ihhh la vem lá a feminista, não cola mais, opressão quando vai defender sua opinião também não, se você diz que é feminista, não é um defeito ou uma marca sem qualidade, muito menos um assunto sem valia meu bem, não é não, ouvir mulheres e principalmente homens citando essa frase hoje em dia, eu entendo que seja além de adjetivos, é um estagio a mais na humanidade, ouvir em todos os cantos, em posts de facebook, em cartazes na rua, em conversas com a tia, em botecos nas vias, não importa, vamos popularizar mais que pardais nas avenidas.
Assim como qualquer posição de opinião fatídica, tudo que é obsessão vira mau intenção, então não estou falando de radicalismos ou exibicionismo, apenas trate o ser, o feminismo, o - eu sou feminista como - Bacana, obrigada por compartilhar e defender isso com a gente.

Pronto o ar foi filtrado, obrigada
EU SOU FEMINISTA.
Não se oprime, diga e explique.



Saldo do Mês {Junho}

Para quem leu o meu último post aqui, já sabe sobre o meu abandono sobre o resumo de Maio, e quero confessar que o Junho quase entro na mesma dança, não é preguiça (é também) mas ultimamente várias coisas tem me ocupado, e essa coisa de publicar aqui no blog andou em segundo plano, mas aprendi a conviver com isso, não me cobro mais, porque posto quando realmente tenho vontade, hehe e isso é bom, não? 

Mas estou aqui no fim de julho, falando de Maio e junho, ambos meses de correria e como sempre recheado de fotografia, planos, sofrências e café. Café é a minha nova mania, e meu novo meio de encontro com as pessoas, café com clientes, café com amigos, café em encontros aleatórios, café, café café  , to amando isso, sempre gostei mas agora não sei se é culpa do inverno, mas minha queda por ele e seus lugares de venda tem sido mais atraentes para mim, até ir sozinha, bobeiou estou lá em algum cantinho com uma xícara, em agosto quando eu for vir aqui falar de julho, verão que essa mania só aumentou, garanto hehe.

Em Maio (não vai rolar fotos aqui) mas em suma quero dizer que comprei uma melissa bapho nova (que ainda preciso achar um lugar para ir para usar ela) conheci um café novo, participei de feirinhas com amigos, teve virada cultural, lanches, garimpos de brechó e muitas fotos aleatórias de amigos e frutas (eu amo). 

Mas vamos agora para Junho, mais extenso, mais lindo até.
Aperte o play para acompanhar.



Essa música de cima foi a minha primeira descoberta de Junho, tanto que a playlist que sempre coloco descobertas de bla bla bla, nem mudei deixei essa mesmo, devido a esse sotaque e melodia linda de Lenine, beijo para você.

Uma amiga me marcou em uma publicação no face, onde consegui duas malas lindas retrô que to in love com elas até hoje, uma delas precisa de umas reforminhas, mas é tão linda que  não to sabendo lidar. Em Julho realizei o terceiro editorial de moda do meu brechó @amorderetro , foram quase três meses garimpando peças, selecionando amigas, conseguindo parcerias, buscado locação e até que enfim saiu, foi um editorial inspirado no festival de musica Woodstock de 1969, assim nasceu então o editorial WoodLove, e o mais legal de tudo isso foi o maior entrosamento de todos envolvidos, foi um dos trabalho que mais tive realização até hoje, confira as fotos aqui. 
Aliás um dos motivos da minha ausência pro aqui é a minha maior dedicação no brechó, participei de duas feiras , um um bazar cheio de desapegos e outra a Tocaya, uma feira musical na praça, em ambas feiras como de costume o amor transborda através de novos cliente, novas parcerias, amigos e muitas experiencias e compras como pro exemplo na Tocaya achei um disco da Janis Joplin pra mim, quase morri de amores por ele.

Opa Opa, olha só ia me esquecendo do acontecimento master do mês, João Rock, maior festival de rock nacional do Brasil, pertinho de mim , adoro falar isso, sorry. Fui ao festival pelas terceira vez, e mais uma vez foi digno do seu nome, este ano presenciei show do Emicida, Nando reis, O Rappa, Pitty, CPM 22 e Humberto Gessinger (morram comigo  ), todos sabem a minha paixão por esse homem, e foi a primeira vez que vou ao show dele, foi um marco na minha vida, até risquei a meta que estava na minha lista de desejos, por fim só queria dizer que eu cantei Refrão de Bolero na multidão como se não houvesse um amanhã.

Repintei o meu cabelo de rosa, paixão pela cor a tempos, mas resolvi passar de novo, mas é tonalizante ou seja agora já está num nível de loiro rose, mas era isso mesmo que queria, cada dia um tom, uma nova composição. Logo retoco de novo, mas me junho ainda estava forte como nas tranças na foto lá embaixo. Fui para São Carlos com duas amigas, e conheci o Kamzu, cafeteria e loja de cookie mais deliciosa do universo, no mesmo dias fomos ao BlackBirdy Pub (mais um item riscado da minha lista de desejos), pub lindo e todo norte americano.

Teve show da Vanessa da Mata no finalzinho do mês, show esse que me transbordou de amor da cabeça aos pés, teve show da Ekena, minha cantora favorita de Araraquara que hoje é minha amiga/cliente (meta de vida atualizada com sucesso) e também teve show da Labaq no Sesc, sutil e intimista maravilhoso. (  UFFA o mês dos show hiem, bati meu record)

Tenho fotografado bastante como celular, to tentando explorar meus conceitos com apenas o clique desse mecanismo acessível  palma das mãos, e nessa vaibe saiu a foto do fim de tarde colorido, do contraste do meu irmão ao sol, da cena de uma peça de teatro maravilhosa _ Quixotes (quotes e interpretação adptada de qualidade) e outras mils rs .





















Essas beldades ai de cima, são as amoras do meu clube lulu que sempre cito, aqui são as minhas amigas que tenho numa escala de dois dígitos (10 anos) e que a gente se reuni para fofocar, comer e dar risada todo mês ou semana o dia, na foto tá faltando uma que ta fora da city, mas tava no whats com a gente hehe. Sabe quando você assisti aqueles filmes de grupos de amigas , tipo Sexy And The City, sim eu sou privilegiada, por conta delas eu me identifico em todas e encho a boca para falar ahhh é tipo eu e as meninas. #anostalgica.  Amo cada pedacinho, e em Junho logico que teve dias delas.


30 de junho de 2017

Links e Pensamentos {12} Acúmulos que deixo pra lá

Passei a semana toda colocando play em uma infinidades de playlists no spotify pela manhã em busca daquela música que desse o click magico do momento, como uma trilha sonora, procurei por vários ritmos esperando com que elas me trouxessem uma energia boa para o resto do dia, porém nenhuma era o êxtase necessário. Não me conformo, sempre tive a musica certa para minhas sensações, mas passei quatro dias a espera de sensações para ter uma música certa. 
Tenho andado distraído, impaciente e indeciso - Sim esse trecho resume as sensações que estavam em busca de uma música para acalmar as mesmas, até que abro o spotify novamente e dou play na minha playlist de fevereiro, mês que fluiu muitas coisas boas como por exemplo viajar e no meio dessas músicas tinha uma que acalmou meu coração de novo - Play.
Tenho mania e certeza de sempre dizer que nada, nada, nada na vida acontece por acaso, tudo tem um motivo, mesmo que o motivo seja besta ou banal, e a música do play acima despretensiosamente estava repetida na minha playlist e naquele dia que eu precisava tanto dela ela repetiu sem precisar apertar o replay (vai saber).
Acho que faz um mês que não venho por aqui no blog, até quebrar a sequencia de postar fotos e fatos de cada mês deixei passar, e se tem uma coisa que sempre  me incomodou, foi não conseguir fazer esse post, gosto de sequencias, gosto de roteiros e de listas, e mesmo tardio eu falei que iria fazer todo mês , mas mês passado literalmente passou, e o post ainda não saiu e eu to como? SUAVE.
É umas das coisas banais da vida, mas to tão bem com esse feito de deixar pra lá,e praticar aquele clichê, não deixa para depois o que você pode deixar pra lá.

Falando em deixar pra lá, esse é meu novo lema com pessoas sem peso na minha vida ou pessoas que pesam demasiadamente, "amigos" que só são contatinhos de facebook, pessoas desnecessárias até para contatos profissionais, até para formalidades, to deixando pra lá mimis de internet, to deixando pra lá amizades de um lado só, to deixando pra lá , pra cá, pra cima, só não venham me empatar.
Ahhh também ando deixando muito pra lá, rolos, enroscos e tocos, caras amigos estou numa boa.

Outro lema que está online na minha vida, é o Sim para oportunidades, já tenho falando dessa questão em quase todos os pensamentos que jogo por aqui, mas é que ando pensando muito nisso mesmo, logo, eles se jogam aqui, mas desta vez quero dizer sobre as oportunidades pessoais, aquelas que tras o conhecimento de pessoas mais a fundo, de oportunidades de se tomar mais café em uma tarde, oportunidades de roles novos, oportunidades de conversas velhas, oportunidades de ouvir muita coisa boa e diferente e de amar hip hop e sertanejo sim, oportunidades de conversas de mulheres fortes, oportunidades de chamegos a mais da família e por fim de tomar todas as doses de todo amor que tem pingado em mim.

Me desculpe mas tem pensamentos acumulados aqui nessa cachola, então será meio extenso e tenso isso aqui hoje, assim como anda minha cabeça mesmo - uma LOUCURA.
Bom vamos lá outra coisa que tenho pensando é nas pequenas coisas que tenho feito pela primeira vez, ( não sei da onde é , mas já vi algo desse tipo em algum filme), mas enfim, segue uma pequenas lista de primeiras vezes feitas:  Tomar café com cliente até então desconhecida, em uma tarde de chuva / conversar com alguém até as oito da manhã e não perceber / conseguir chamar atenção de uma pessoa que eu admiro a anos /  receber e-mail de uma empresa bacana para fazer parte de seu mailling de convidados /  ir no assentamento bela vista / ouvir show ao vivo do Humberto Gessinger / ouvir Homem Invisível no Mundo Invisível da Vanessa da Mata / Fazer chamada de vídeo / Dançar no meio da praça como se ninguém estivesse vendo / Comprar um sapato caro pela internet {...}

Mas uma coisa, quem me motivou a voltar escrever tudo isso aqui, foi você Vanessa da Mata em seu show ontem que me transbordou de amor, e aquela música que tá na lista ai em cima de que ouvi pela primeira vez , ahhhhh ela ficou tatuada aqui no meu peito:

"Parem esse mundo que eu quero descer
Tudo é dinheiro, o amor pra onde vai?
Quero um abraço dos meus bons amigos
Pois nenhum dinheiro compra um verdadeiro"

Por fim, não sei que religião eu pertenço, mas boas vibrações elas existem, então leiam e mentalizam comigo: nam myoho rengue kyo (esse mantra/oração tem feito grandes efeitos, te garanto). 

Links e coisas que me interessei.

Oamul, é um  ilustrador chines que tem um traço sutil e lindo, suas ilustrações me transmite leveza, e observação de pequenos detalhes da rotina, tem várias ilustrações gifs também.


Vamos lá: 1 - Conheci a série por esse vídeo (podem me matar) / 2 - Doctor Who traz Vicente Van Gogh para ver o que ele fez para o nosso mundo "moderno" / 3 - Se emocionei  / 4 - Um amigo me disse que um dos motivos de seu suicídio foi dele nunca ter conseguido vender suas telas, então imagine se ele pudesse ver sua grandeza e seu reconhecimento no mundo de hoje. 


Olha esse rosé/conjuntinho/de bolinhas LINDO.


Sinto lhe dizer que, se não te ocorreu, ocorrerá! hihi

Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem dinheiro! Você não tem di ... - Tô clicando e comprando este poster, geeeeeeente me ajudem !!!


 Doctor Who, me leva pra esse lugar? (olha essas cores)


Ahh ia me esquecendo alguém tira Pablo Vittar da minha cabeça? Bjô.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo